Follow by Email

terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

.:: A EDUCAÇÃO COMEÇA NA MAIS TENRA INFÂNCIA ::.

Bom dia, amados leitores! Hoje quero falar um pouco sobre Educação Infantil.
Meu sol está na escola desde os dois anos, e na creche, desde os 7 meses. Vou explicar.
Com o meu retorno ao trabalho, somado a separação que ocorreu logo depois, me vi “obrigada” a por meu filho na creche.
Muitos foram os transtornos iniciais, que, aliados às dúvidas de “mãe de primeira viagem”, fizeram da minha rotina uma dor sem fim no coração.
Contudo, sempre que possível, eu dava uma “fugidinha” do serviço para saber como o meu filhotinho estava. Fui vendo o carinho que ele recebia, bem como os mais diversos estímulos. A socialização dele foi incrível! Vi, desde cedo o cuidado com os outros bebês, a preocupação se eles estavam comendo, a razão de estarem chorando... Sem falar, que ele praticava natação e também tinha aulinha de musicalização.
Vi meu filho alegre, e isso, com o tempo, foi acalmando meu coração de mãe. Ouvi pessoas criticarem, e ouvi pessoas de minha admiração me aconselharem de que era realmente bom pro meu filho mantê-lo numa creche que tratava com carinho e estimulava sua coordenação.
No início do ano passado, vivi uma série de internações por ter uma leucocitose sem fim. Precisei retirar o Théo da creche, e ele ficou um tempo sendo cuidado por minha mãe.
Assim que eu recuperei um pouco e tive alta, ele voltou a estudar. Fez o maternal I assim que completou 2 aninhos. Sempre pesquisei se era melhor para meu pequeno a creche/escola ou ficar em casa com a avó ou uma cuidadora, e sempre chego a mesma conclusão: a creche/escola.
Logo cedo, o meu sol se mostrou uma criança muito feliz, carismática e comunicativa. Adora músicas, dançar, correr e brincar. Tem cuidado com seus objetos pessoais, e manifesta bons hábitos sociais como cumprimentar as pessoas, pedir desculpas, agradecer, pedir licença. Também foi apresentado a capoeira, no Maternal I. Até hoje ele gosta muito!
Atualmente ele está no Maternal II. Cada dia que passa estou mais certa da minha escolha. Ao dormir, ele gosta de “contar” histórias pra mim.  Gosta de ouvir as minhas também. Ele tem uma linda sensibilidade aos sentimentos alheios, e está sempre preocupado se as pessoas estão felizes. Manifesta bem os sentimentos dele. E eu fico encantada com sua personalidade.
Ele me agradeceu esses dias, enquanto assistia desenhos, pela escola. “Mamãe, muito obrigado pela escola”. Me derreti toda.
Muitas pessoas têm mania de achar que, porque a criança é nova, não tem capacidade ou sentimentos. Ora, é comprovado que até uma planta reage diferente (fica mais bela e cresce mais rápido) se conversarem com ela.
Eu acredito no potencial das crianças, e não menosprezo a inteligência delas. Gosto de ver documentários, ler livros e artigos. Pesquisar. Vi um documentário que tratava da capacidade lógica dos bebês. Muito legal!
Fiquei emocionada ao comprar os primeiros livros do meu filho, do Maternal II. A educação é algo que passa a fazer parte do ser e ninguém tira, depois de vivenciada. Estou contente em me empenhar nesse doce caminho: o da educação infantil! E tenho muito o que descobrir sobre esse universo tão encantador!!! Até o próximo post!!

Um comentário: