Follow by Email

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

.::SHOTOKAN ::.

Bom dia, amados leitores! Hoje almejo discorrer sobre “ser forte”.
Afinal, o que é “ser forte”?
Quando eu era mais nova, pratiquei uma arte marcial denominada caratê. Lembro que me identifiquei com o estilo chamado Shotokan.
Há no caratê uma expressão famosa, do mestre Gichin Funakoshi, que diz “Karate ni sente nashi” (no caratê não existe atitude ofensiva). Ora, se o adversário for inferior, não há razão para brigar; se o adversário for superior, por que brigar?; se o adversário for igual, compreende o que você compreende...então não há luta.
Honra não é orgulho, é consciência real do que se possui.
O mestre sempre ensinou que o valor real do caratê habita na nobreza do espírito, saber dominar a agressividade. E, não apenas isso, mas, quando chegar a hora, ter sabedoria e coragem de enfrentar milhões de adversários. É o espírito dos samurais.
O shotokan é representado por dois círculos sobrepostos, sendo um maior e todo branco e um menor vermelho. O círculo branco representa a lua e o menor o sol. O sol brilha e dá luz e calor, a lua inspira a paz e o amor, e tudo isso em conjunto representa a harmonia na natureza.
No conflito, conseguir se harmonizar, é uma verdadeira arte. Ter serenidade para não se precipitar. Sabedoria nas tomadas de decisão. Pois, qualquer passo errado, pode ser fatal. Deixar feridas. É necessário ter flexibilidade e muito equilibrio.
Essa semana não foi muito fácil pra mim: conflitos com o pai do meu sol, a indiferença dele frente às necessidades do nosso filho (tanto emocionais quanto financeiras), questões familiares que abalaram a todos, mudança de escola do meu pequenino (adequações financeiras como reajuste das escolas), minha mudança de emprego... tudo de uma vez!
E, enfrentar o vendaval com quietude, para não transmitir isso ao pequenino que tanto amo. Fazer com que ele se sinta amado, por seu pai (mesmo com suas longas ausências), por seus familiares, por seus amiguinhos e por mim, que equilibro essa bandeja de milhares de taças de cristal. É assim que me sinto.
E ser feliz mesmo dentro da tempestade, cantando em voz suave meu hino de amor por ele, para que ele se sinta protegido.
Então, busco sempre essa paz. Não a ausência dos problemas, mas sim, a compreensão para solucioná-los. Até porque, hoje, sou bem mais forte do que quando fui lançada ao mundo, e não abaixo a cabeça. As batalhas fortificam.
Termino esse post desejando a todos os amigos que estão passando por lutas, sabedoria, perseverança e garra. Como diz uma linda canção do Pe. Zezinho:

“Forte é quem grita sem ódio e sem medo a verdade maior
Forte é quem nunca abandona a ternura nem mesmo na dor
Forte é quem morre mas não admite matar
É forte a semente que morre, mas morre pra ressuscitar!”

Nenhum comentário:

Postar um comentário