Follow by Email

segunda-feira, 10 de setembro de 2012

.:: FINALMENTE, VIAJAMOS A CALDAS NOVAS!!! ::.

"Tu és nuvem, és mar, esquecimento: e és também o que perdestes em um momento.
Somos todos os que partiram.O reflexo de nosso rosto no espelho muda a cada instante e cada dia tem o seu próprio labirinto. A nuvem que se desfaz no poente é nossa imagem: incessantemente, uma rosa se converte em outra rosa".
 Jorge Luis Borges

Bom dia Pessoas lindas!!!

Segundona, e após o feriadão ao lado do meu filho, finalmente, estou de volta ao trabalho. Enfrentei uma gripe, uma infecção estomacal, a mesa do serviço cheia de coisas para serem resolvidas, e, tudo isso pra ser sanado até quinta-feira antes do feriado.

Mas tudo deu certo! A viagem foi um sucesso e agora estou bem melhor. Descansada e pronta para outra viagem! *rs

Viajar com o meu filho foi muito gratificante. Dedicar os dias somente a ele, passear com ele, levá-lo às piscinas de Caldas Novas foi uma sensação ímpar! Sugiro que todas as mãezinhas façam isso com seus filhos.

Ele sorriu, brincou até cansar! No quarto, ele parecia estar no paraíso dos desenhos animados: uma cama enorme só para ele ficar deitadinho assistindo seus desenhos no canal da Disney Channel. Tão lindinho!

Fiquei pensando em muitas coisas que aconteceram em minha vida, como num filme. Eu não escolhia os momentos: as lembranças simplesmente apareciam em minha memória. É como se, o que foi vivido com menor frequencia, tivesse mais destaque perto do que era rotineiro.

Espero ter tantos momentos felizes ao lado do meu filho a ponto de que a lembrança desse passeio se misture nas memórias de felicidade dele.

É isso ai...

...um lindo dia pra vocês, ficando como sugestão do dia mais sonhos de viagem ao lado de quem se ama.

Beijos e mais beijos.

Lily.

Até o próximo post.



sábado, 8 de setembro de 2012

.:: "O MUNDO ACABA HOJE E EU ESTAREI DANÇANDO COM VOCÊ ::.

Segundo dia de viagem. Acordar na cama do hotel é bom demais! Principalmente porque, na noite anterior, o meu sol e eu fomos passear no centro da cidade, na feira da lua, no parque de diversões... e, quando dormimos, dormimos mesmo!
 
Após acordar, tomar banho e tomar aquele café da manhã, fomos passar o dia no Acqua Parque do Di Roma. Muito bom o clube!
 
Só voltamos para almoçar e depois, não conseguimos voltar ao clube. O cansaço falou mais alto e dormimos o restante da tarde.
 
A noite, o Théo brincou na brinquedoteca do hotel e na piscina quente também. Amanhã já é domingo, e, como tudo que é bom, passou rápido demais! rsrs...
 
Sem preocupações. Sem correria. Como diz uma música da Pitty que gosto muito: "O mundo acaba hoje e eu estarei dançando com você!". É isso que senti hoje o dia inteiro ao lado do meu filho. Não importam os problemas. O importante é estar sendo feliz ao lado dele, e ele, feliz ao meu lado. Eu e ele. E, também como diz uma música da banda Catedral: "Não me diga que o mundo anda mal, hoje eu nem quero ler o jornal...eu só quero escrever uma canção de amor pra você!".
 
Obrigada Senhor, pela oportunidade de poder finalmente viajar ao lado do meu filhote e fazê-lo feliz.
 
É isso ai pessoas lindas. Amanhã, último dia, e nós iremos ao Náutico Clube e depois,..., estrada rumo à Brasília.
 
Beijos e mais beijos!

sexta-feira, 7 de setembro de 2012

.:: PRIMEIRO DIA NA ESTRADA ::.

"Olhe fundo no seu coração. Escute a pequena voz serena dentro. E lembre-se de uma coisa: A vida é realizada somente através de anseios, nunca através de ambições.A vida se torna um deleite somente através do coração, nunca através da mente. A mente cria ciência, o coração cria religião. A mente pode lhe dar melhor tecnologia, melhores aparelhos. O coração lhe dá o real, valores supremos: amor, alegria, verdade, liberdade, consciência, Deus.E uma vida sem esses valores é sem valor."
OSHO

Sexta-feira, 7 de setembro de 2012.

Acordei 4h30min e não consegui dormir mais! Como dormir?! Meu coração está acelerado. É a primeira viagem só meu filho e eu, ninguém mais! É claro: Deus e seus anjos. Muitos anjos. Com esse pensamento me acalmo.

Tudo preparado, e só consigo sair 7 da manhã. É porque o Théozinho acordou e pediu mamadeira, ir ao banheiro....tomar banho...e então, comecei tudo de novo!

A viagem foi tranquila. Penso que fiz o dobro do tempo, porque eu quis ir com calma, tranquila, curtindo as paisagens e cantando com o Théo. Ah, também tivemos que fazer o trajeto Brasília/Caldas Novas por Goiânia, pois ouvi na rádio bem cedo que eles não recomendavam ir por Luziânia, pois o trecho estava em obras e havia congestionamento de 8 km no local, naquela hora.

Não achei ruim. Só assim, conheci o tão famoso Jerivá. O Théo também não achou nada ruim: ficou brincando no parquinho do Jerivá bem uns 20 min...

Pé na estrada. A sensação de liberdade ao visualizar as belas paisagens da estrada, fizeram o papel de reposição de energias.

Penso que demorei tanto na estrada que tivemos que almoçar ainda no caminho...
 
Tudo foi diversão! Enquanto comíamos eu não paráva de pensar no tempo. Não pensar que tinhamos hora pra chegar, mas simplesmente pensar no tempo como uma coisa que não deveríamos pensar.
Pra quê pressa?


Chegamos em Caldas novas 14h!!! Um calor, uma vontade de fazer logo o check in! Agora veio a pressa. No carro, um sol de matar... tudo o que queríamos era a piscina!
Bem... o outro post ficará pra amanhã. Precisamos descansar.

"ô vidinha marromenusss" *rsrssssssss

quarta-feira, 29 de agosto de 2012

.:: FELIZ DIA DO VOLUNTÁRIO!!! ::.

Bom dia amados!!!

Hoje meu post é voltado a todos aqueles que dedicam seu tempo para auxílio ao próximo: o voluntário.

Li no livro "Pedagogia do Amor", do nosso amado Gabriel Chalita, um doce questionamento: "Afinal, quem não deseja manter no coração e na mente o enredo mágico das histórias encantadas?"(pg.12).

No citado livro, na pg. 11, diz assim: "(...) é preciso dar um novo sentido a esses pequenos seres iluminados que ocupam almas e corações... Crianças interiores que habitam castelos, vales e montanhas edificados quando ainda arquitetávamos sonhos...Meninos e meninas comprometidos apenas em bater a meta diária da felicidade".

E eu, como faço parte da ONG Sonhar Acordado Brasília, como sonhadora, e por ter feito parte de outros projetos ao longo da minha vida, posso afirmar que o voluntariado me trouxe, por duas vezes, um novo sentido a minha vida, razão para viver, para respirar, para sonhar e acreditar na humanidade. Acreditar em mim mesma, e levar essa esperança aos corações tão infantes.

Que a luz que habita na pureza infantil, sempre esteja acesa em nossos corações! Como diz no mencionado livro, ainda na pg. 11: "Não podemos esperar que as novas gerações modifiquem o que está errado se não despertarmos para o fato que cabe a nós, desde já, dar o exemplo. Para isso, nossos pensamentos e ações devem ser um misto de altruísmo, capacidade de doação e amor ao próximo".

E para aqueles que vivem reclamando da vida, levo a sugestão de fazer parte de uma equipe de voluntarios. Todos nós temos dons, basta saber utilizá-los. E deixar de fazer uso do melhor que há em nós, é frustante tanto para quem deixa de se doar, quanto para todos aqueles que estão cercados por esse indivíduo.

O mundo precisa de sonhadores!!!

E, ao pessoal da Sonhar Acordado Brasília, quero agradecer por Sonharmos Juntos!!!

Até o próximo post.

Carinhosamente,

Tia Lily.



terça-feira, 28 de agosto de 2012

.:: INTOLERÂNCIA À LACTOSE ::.

Boa tarde leitores!

Hoje estou feliz com um "achado" na internet: um site que trata de questões voltadas à intolerância à lactose.

http://www.semlactose.com

Esse site explica o que é a intolerância, dá sugestões de produtos, de receitas...estou maravilhada!

Amigos, é muito ruim ver meu filho desejar comer guloseimas, iogurte, danoninho e ser proibido, ou, pior, quando come, passar mal.

Vou testar todas as receitas e conto tudo pra vocês. Espero que agora a vida do meu filho tenha muito mais sabor, e, se depender de mim, terá!

Sugiro que entrem nesse site e vejam as receitas. Às vezes não há parentes que tenham intolerância à lactose, mas algum amigo tem um filho que tenha, e assim vai... Ajudem!

Olha esse brigadeiro, parece delicioso, não?! Melhor ainda: SEM LACTOSE!!!

É isso ai. Quem quiser ser "cobaia" dos meus futuros experimentos na cozinha, na doce companhia do meu filhotinho, está convidado!

Transcrevo abaixo alguns mitos e verdades sobre a Lactose, que encontrei no referido site (http://www.semlactose.com/index.php/2012/02/07/10-mitos-e-verdades-sobre-a-lactose/):

1. A lactose está presente em todos os alimentos lácteos.
MITO. Nem todos os alimentos elaborados a partir do leite de origem animal possuem lactose. Este é o caso de alguns queijos, que devido ao seu processo de fabricação, a lactose é eliminada naturalmente.
2. Leite de cabra ou de ovelha não tem lactose
MITO. Todos os leites de origem animal possuem lactose em sua composição. Até mesmo o leite materno. Alguns alimentos como iogurtes e queijos elaborados com leite desses animais podem ter a lactose eliminada seja pelo processo natural de fabricação ou pelo uso da enzima lactase.
3. Leite de coco não contém lactose
VERDADE. A lactose é um carbohidrato presente somente no leite de origem animal. Os chamados leites vegetais, como o leite de coco, de soja, arroz e outros não têm lactose.
4. A lactose é a principal causadora de alergias respiratórias em crianças.
MITO. É muito comum ouvirmos falar sobre “alergia à lactose”, mas acredite: a lactose nunca será a causadora de alergias! Quando falamos em alergia alimentar, são as proteínas do leite as principais causadoras de processos alérgicos em crianças. Proteína e lactose são substâncias diferentes, e com frequência são confundidas pela população.
5. Iogurtes contêm baixo teor de lactose, por tanto podem ser consumidos por pessoas com IL.
MITO. Segundo pesquisas feitas para identificar o teor de lactose de alguns iogurtes, foi verificado que a redução da lactose de iogurtes comuns (com culturas de lactobacilos vivos) é de apenas 20 a 30%. Para que a redução seja adequada para o consumo, ela deve ser acima de 70%, sendo que a tolerância ao produto será de acordo com cada pessoa. Por isso, apenas os iogurtes à base de soja ou iogurtes cujos rótulos indiquem claramente que são baixa lactose/sem lactose podem ser considerados adequados para o consumo por pessoas com IL.
6. Pessoas que fazem dieta de restrição aos lácteos necessitam fazer uma suplementação de cálcio.
VERDADE. O leite e seus derivados são boas fontes de cálcio e quando não estão presentes na dieta é necessário readequar a sua alimentação para obter o cálcio de outras fontes .  É comum acreditar que o cálcio esteja presente apenas em alimentos lácteos, mas isso não é verdade. Há diversos alimentos de origem vegetal que são ótimas fontes de cálcio como o brócolis, o espinafre, o gergelim, o amaranto e até mesmo o suco de laranja. Para quem quer ver uma lista completa de alimentos de origem vegetal que contenham cálcio acesse nossa matéria sobre suplementação de cálcio na dieta sem lactose. Outra opção são os produtos com adição de cálcio, como é o caso dos leites e iogurtes de soja.
7. A hipolactasia primária, a intolerância à lactose que geralmente ocorre em jovens adultos, é na verdade uma condição natural do ser humano.
VERDADE. Todos os seres humanos, assim como os mamíferos, deveriam beber leite apenas durante o período de amamentação. Com isso, a enzima lactase produzida pelo nosso organismo iniciava um processo natural de redução logo após o desmame. Foi ao longo de milhares de anos que o homem acabou sofrendo uma mutação genética, adquirindo a capacidade de continuar a consumir alimentos lácteos devido à persistência da produção da enzima lactase. Isso ocorreu a partir do momento em que alguns povos começaram a domesticar animais e introduziram o leite animal e seus derivados em sua dieta.
8. Ácido lático é um derivado do leite.
MITO. Um ingrediente muito comum em alimentos industralizados, o ácido lático utilizado na indústria alimentícia é 100% de origem vegetal.
9. Pessoas com intolerância à lactose não devem consumir nenhum alimento lácteo.
MITO. A IL é uma condição bastante individualizada. Cada pessoa possui um grau maior ou menor de intolerância com sintomas que também podem variar. Mas pode-se dizer que uma grande maioria dos IL podem consumir alimentos com baixo teor de lactose sem ter sintomas de intolerância, como queijos, manteiga e leites com baixo teor de lactose. Além disso, existem as cápsulas de enzima lactase que ajudam muitas pessoas a comerem alimentos lácteos.
10. Alimentos com traços de lactose estão liberados para os IL
VERDADE. Os traços de lactose são geralmente frações de leite ou derivados que alguns alimentos recebem devido a fabricação em maquinários compartilhados. Mas essas frações mínimas não afetam os intolerantes à lactose.

E até o próximo post!

terça-feira, 14 de agosto de 2012

.:: MAIS UM DESAFIO DE SE CRIAR O FILHO SOZINHA ::.

Boa tarde, nobres leitores. Penso que hoje estou em crise! Não é bem uma crise... é só um dia de angústia, que meu coração se aperta.

Minha solução?! Chocolate Suflair! É... melhorei um pouco, mas pra desabafar, creio que só escrevendo mesmo.

Tem aproximadamente duas semanas que meu filhotinho me trata mal. Desde que o pai dele voltou de viagem, e foi visitá-lo, meu filho é ríspido comigo e indiferente. Quando estamos na rua, age de forma grosseira e "mandona".

Então, não tolerando mais a situação e não querendo gritar - mas sim, tentando entender o que se passava em seu coraçãozinho, sentei e conversei com ele.

Mostrei pra ele que quem está ao lado dele em todas as horas sou eu, e que não era pra ele maltratar o pai dele, mas sim, tratar ambos bem, porque amamos ele. Eu, na posição da pessoa que cuida dele, e o pai dele, por ser o pai dele, né?! O que mais eu poderia falar?!

Eu sou a pessoa que não só leva pra passear e cuida dele, mas também que educa, e educar, muitas vezes significa dizer "não", o que criança não se agrada muito.

Já o pai dele, o vê nas visitas, e encara tudo como se fosse uma festa, sem correções, sem educá-lo.

Que situação! Bom... mas não sou a única no mundo a passar por isso, não é mesmo?! Só peço à Deus maturidade...

Depois da conversa, ele falou que vai cuidar de mim enquanto eu cuido dele, e não vai mais me maltratar nem ser grosseiro, porque ele é amigo do homem-aranha, e os super-heróis são educados. Ele disse saber que não deve tratar as pessoas como ele estava me tratando.

heheeeee... depois, quem não entendeu fui eu. Primeiro porque ele demonstrou maturidade além do que eu imaginava, e, num segundo momento, porque fiquei preocupada de estar exigindo dele uma conduta além do que a idade permite, quando se trata de manifestação de sentimentos.

Sei que, para ele, não é fácil conviver com a ausência do pai. Não só a saudade, mas também, visualizar os coleguinhas em momentos de carinho rotineiro com os pais, as piadas dos coleguinhas que acham que ele não tem pai, a agonia em vê-lo e, quando está no melhor da história, ter que se despedir. A falta de intimidade e de rotina.

Visualizá-lo sofrer também me faz sofrer. A dor dele me dói. Isso me angustia. E, tentar fazê-lo feliz, é sempre minha meta. Aluguei uns filmes do homem-aranha pra deixá-lo empolgado. Ontem deu certo!

Bem...penso que o chocolate fez efeito e é hora de voltar a trabalhar com o "pique" total. Morrendo de saudade do meu branquelinho que está na escolinha.

Uma excelente tarde pra vocês!

sexta-feira, 10 de agosto de 2012

.:: QUANDO O SEU FILHOTE COMEÇA A APRENDER A VOAR ::.

Bom dia leitores!

Estou de volta às publicações!!! Com o tempo postarei os textos ainda não publicados.

Hoje quero falar sobre um instante difícil, porém necessário: o momento que seu filho começa a "voar com as próprias asas".
Mas quando que, de fato, isso ocorre?

Penso que desde que ele nasce. Desquade quando ele tem a primeira respiração, só dele. Depois, vem a hora de se alimentar, mesmo que sendo do leite materno, mas agora, ele depende de sugar, e isso, é um ato só dele. E por ai vai...

Meu filho tem 3 anos e está no Maternal II. Hoje foi o dia de seu segundo passeio, sem a companhia dos pais. E aquela polêmica: deixar ou não deixar?

Mesmo querendo direcioná-lo à liberdade, ainda me pego a questionar se é certo isso, em tão pouca idade. Mas ai, surge uma outra pergunta? Qual ser responsável pela criação de outro ser que não questiona seus próprios atos?

Espero estar fazendo a coisa certa. Não quero criar meu filho para simplesmente suprir minhas necessidades: quero educá-lo para o mundo, para aprender a ser feliz nele, com riquezas de valores.

Quero que ele aprenda desde novo o valor de assistir à uma peça teatral, uma orquestra sinfônica, a ter atenção no artista/músico e entender o que o mesmo pretende trasmitir ao público. Respeitar o trabalho dele.

É tão triste visualizar adultos que não sabem ter postura diante de uma apresentação! Ou mesmo aqueles que nunca experimentaram a sensação de se calar, e ouvir alguém, que não seja os jornais sensacionalistas que narram somente trajédias nos lares.

O mundo também é bom. E tem pessoas que transformam sua vida em magia. Quero somente que meu filho viva a vida dele, e descubra seus próprios gostos, e não os meus. Sei que não se aprende isso preso em superproteções.

Agora estou anciosa para saber notícias de seu passeio ao teatro, com os amiguinhos da escola.

Fiquem na Paz, amados leitores, tenham um ótimo final de semana e até o próximo post.

quarta-feira, 14 de março de 2012

.:: O SORRISO DE MONALISA ::.


Bom dia! Hoje tratarei de uma realidade difícil de mudar: a resistência da sociedade às ideias inovadoras. E, por ser mulher, sinto muito, tanto de homens (machismo) quanto de mulheres (a versão feminina do machismo), essa espécie de aversão às mudanças.

Certo dia, um colega me comparou a Katherine Watson, papel interpretado por Júlia Roberts no filme “O Sorriso de Mona Lisa”. Como não era a primeira vez que acontecia, não resisti à curiosidade e fui assistir o filme.

O filme retrata a vida de uma jovem professora de história da arte que começa a lecionar em uma escola para moças, onde, em suas aulas, busca dar maior autonomia e preparo para que suas alunas enfrentem o mundo. Sua personagem se vê obrigada a renovar o fôlego do curso que ministra com algumas variações didáticas pouco comuns ao universo da faculdade em que trabalha. Ela é muito mais que uma profissional em busca de renovação em seu trabalho pedagógico: ela é o protótipo de mulher moderna, livre, desimpedida e que quer quebrar as barreiras do mundo machista em que vive.
Ela é uma mulher que está além de seu tempo e que não se conforma com o fato de suas alunas irem a faculdade para estudar sem as perspectivas futuras de tornarem-se profissionais e ingressarem no mercado de trabalho. Não há outro desejo nas estudantes que frequentam suas aulas senão o de se tornarem futuras esposas, dedicadas e preparadas para transformar a vida de seus maridos numa existência confortável onde as aparências são mantidas (mesmo que cinicamente) a qualquer custo (ainda que isso signifique o sacrifício de suas honras e esperanças).
“O Sorriso de Mona Lisa” é um libelo em favor da emancipação das mulheres e uma pesada crítica ao conformismo que imperava entre as representantes do sexo feminino durante os anos 1940 e 1950. Olhamos para trás e percebemos que por trás de toda aparente felicidade dos lares americanos daquele período existiam mulheres restringidas em suas capacidades mesmo depois de terem sido convidadas a participar mais ativamente da sociedade em que viviam durante os anos da 2ª Guerra Mundial (quando os homens foram aos campos de batalha enfrentar os nazistas na Europa e muitas das funções exercidas por eles foram repassadas para mulheres).
Várias passagens do filme me sensibilizaram e me fizeram visualizar que mesmo após tantos anos se passarem, ainda habita nos corações humanos os mesmos preconceitos, os mesmos medos e angustias. As mulheres se tornaram policiais, juízas, advogadas, doutoras independente da área, vigilantes, motoristas de ônibus, de caminhão, bombeiras, e não perderam a feminilidade, a capacidade de sonhar, de acreditar em um bom casamento.
Contudo, querem além do artificial. O “mundo encantado” se desfez junto com a ideia de príncipe encantado, com as agressões físicas e verbais que não aceitaram mais viver, caladas, entre quatro paredes. Mas ainda sim, não é raro ouvir uma critica lançada a mulher que espera pra casar, ou nem mesmo tem vontade, ou simplesmente nega a condição de ser mãe. Gente, cada um se faz feliz como quiser! Se consideram egoísmo o fato de não querer ter filhos, mais egoísmo ainda é lançá-los ao mundo por mera obrigação biológica, sem cuidados, sem amor.
O fato de me sentir uma “pata” e querer filhos, não faz da minha irmã de jornada obrigada a ser mãe também. Hoje temos mulheres artistas, grandes escritoras, estudiosas, batalhadoras. Cada uma se realiza como quiser, e, contribui de forma positiva a sociedade.
Voltando à professora Watson, ela entra na instituição motivada pela possibilidade de fazer com que suas estudantes estejam bem preparadas não apenas para os futuros cursos universitários pelos quais irão optar, mas também para o exercício de cidadania e igualdade de oportunidades que deve imperar na sociedade americana. Ela mesma se sente parte da realização desses sonhos. É independente, e não se casou (o que motiva comentários maldosos ao longo de sua estadia no Wellesley College.
O que ela não imaginava era que iria encontrar em suas alunas o sonho conformista de um casamento feliz sem qualquer perspectiva profissional ou mesmo de aprofundamento nos estudos. Desafiada pelas estudantes em virtude de sua juventude, a professora de história da arte tem que comprovar sua qualidade profissional a cada nova aula, entretanto a despeito de sua luta particular, sente que seus esforços não redundarão num compromisso de superação da submissão das jovens a sociedade marcadamente machista em que vivem.
Ao invés da perspectiva de uma vida de realizações pessoais e profissionais conciliada com um casamento equilibrado, as moças parecem mais dispostas a servir de suporte para o sucesso de seus maridos e se conformar com o conforto material e a prosperidade financeira obtida pelos mesmos. O sonho da maioria delas é ter uma casa equipada com as novidades mais recentes em eletrodomésticos e uma festa de casamento celebrando socialmente uma união feliz e eterna (mesmo que isso signifique aceitar traições e ter que continuar sorrindo e fingindo desconhecimento de causa).
“O Sorriso de Mona Lisa” é instigante por nos mostrar o cinismo e a hipocrisia que reinam ainda em muitos lares, não só americanos (como retratado no filme) onde as mulheres são passadas para trás e nem ao menos  vão em busca de suas realizações pessoais e profissionais. Ainda bem que muitas mulheres conseguiram superar tudo isso...
Gosto muito de ler Hannah Arendt. Não me importa se ela foi amante de Heidegger, ou a quantidade de homens que ela se comprometeu. O que importa é que ela lutou pelo que acreditava, ajudou os judeus, se preocupou com o futuro dos próximos. Não se calou diante das injustiças. Hoje, minha homenagem vai a todas as mulheres que não se calam diante das injustiças, mesmo que “legalizadas” e “socialmente aceitas”. Eu tenho sede de mudanças, e começo em mim.

domingo, 11 de março de 2012

.:: DE VOLTA AO MEU EU ::.

Bom dia, amados leitores! Hoje meu dia foi simplesmente fantástico! Acordei bem cedo, preparei as malas e fui pra Corumbá, com a equipe do Itakamã (http://www.itakama.com.br/) para praticar Rafting. Como é bom acordar cedo pra ser feliz! Passamos 3 horas descendo o rio que já está baixo, pois está acabando a época das chuvas.

A última vez que pratiquei rafting eu morava em São José do Rio Preto/SP. Foi numa inesquecível viagem à Brotas (http://www.brotas.com.br/).

3 horas entre momentos de aventura, de conversas agradáveis e de muita reflexão. Estar em harmonia com a natureza nos deixa em harmonia com a vida. Mesmo com a gananciosa intervenção humana, a natureza se mostra magicamente bela.

Assim que o meu sol puder, levarei nesses doces passeios recheados de muita adrenalina. Ensiná-lo a amar a vida, a natureza. Meu coração está transbordando de sonhos!

É isso ai...meu corpo está quebrado, minha canela está queimada, mas estou feliz! A noite mostrei pra ele as fotos, e ele me contou "estórinhas" de um menino que gostava de nadar de barquinhos.

Agora vou descansar, porque muita alegria também dá sono. Um beijo a todos!!! Até!

quinta-feira, 8 de março de 2012

.:: SIM, SOU MULHER! ::.

Sim, sou mulher!
Sou a primeira pessoa do meu livro que se chama MINHA VIDA.
As rédeas estão firmes em minhas mãos.
Sim, sou mulher!
Sou personagem principal da minha história, e eu faço meus papéis. Ninguém mais!
Não sou a vítima, tão pouco a vilã – ambos fogem da minha linha de evolução espiritual.
Sou guerreira. Sou mãe, sou filha, sou irmã, sou neta, sou amiga, sou advogada, sou bombeira, sou socorrista, sou faxineira, sou lavadeira, sou passadeira, sou cozinheira, sou funcionária, sou namorada, sou separada, sou colo, sou consolo, sou abrigo, sou prece, sou lágrima, sou provedora, sou sorriso, sou sonhos, sou amor, sou fé.
Sim, sou mulher!
Não tenho mais medo de ser sensual pra quem eu quiser, porque sou deusa – me foi concedido a divindade de ser mãe, no sentido mais puro da bênção divinal.
Não tenho medo de falar o que eu quero, de pedir com jeitinho, de fazer um carinho, porque meu mundo é de flores.
Sim, sou mulher!
Sou funkeira, sou pagodeira, sou forrozeira, sou o que eu bem quiser!
Eu danço, eu salto, eu nado, porque sou livre e meus limites estão definidos onde alcançam minhas mãos, minha mente e meus pés.
Sim, sou mulher!
Sou leoa, na idade da loba. Protejo minha cria, com toda a minha garra, e, protejo com unhas, coração e dentes.
Sim, sou mulher!
Sou poeta, sou filósofa, sou pensadora.
E não é o tamanho do vestido, a marca do meu terninho, se uso coturno ou chinelo, se meu salto é 15, tão pouco pelo estilo da minha bolsa, que fará você entender quem sou.
Porque ainda sou menina, moleca... com o misterioso coração de mulher!

Bom dia, caros leitores! Dia da Mulher, e muita gente lembrando como é belo e contraditório o universo feminino. A delicadeza, a delicadeza na firmeza, a sensibilidade, a sensibilidade na garra. Existem mulheres de todos os tipos, mas todas com a mesma essência de mulher.

Esses dias eu estava recordando como eu cresci ouvindo “mulheres mais maduras” utilizando termos pejorativos para se referirem a mulheres, ainda meninas, que adotavam estilos mais despojados de ser, sem o tradicionalismo e tabus retrógrados.

Me entristeci. Com o passar dos anos, passo a passo, as mulheres têm alcançado independência financeira, intelectual, familiar, emocional, e porquê não mencionar, sexual. Se reinventaram e não perderam o encanto. Mostraram-se grandes líderes, desde a mantença de seu lar, até a administração de grandes empresas. Temos uma presidente...mulher!

 E mesmo diante desse belo quadro de revolução, mulheres ainda menosprezam suas irmãs. Ignoram a dor que só elas conhecem, que é o da ofensa causada pelas más línguas. Deturpam imagens, ferem a honra de muitas guerreiras. Destroem sonhos juvenis. Traumatizam outras mulheres, com conceitos ultrapassados. Ferem até mesmo, o que versa a Bíblia, se dizendo cristãs, mas magoando corações sonhadores.

Se eu pudesse fazer um pedido aqui, pediria pra todas as mulheres não utilizarem mais termos pejorativos a outras mulheres. Todas têm direito de sonhar, de lutar pelo que acreditam, de utilizar as roupas que querem, de se maquiar como gostam. E, se não estão adequadas ao ambiente, por que não ensiná-las a serem mais belas, mais cultas, mais!? Sem ofender. Sem menosprezar.

Lembro que, quando eu tinha 15 anos, uma linda senhora que admiro muito me ensinou a ser “princesa”. Me senti linda dentro de um charmoso vestido. Minha mãe não tinha jeito comigo. Não havia me ensinado a me maquiar, a usar vestidos, a ser feminina. Tudo o que aprendi foi fora de casa.

Até então eu não passava de um “menininho”. Usava calças largas, com correntes, e camisetas que não marcavam o corpo. Tinha vergonha de mim, porque tudo era feio, pra minha mãe.

Mas, na verdade, tirando aquele monte de panos sobrando, tinha uma menina delicada. E aquela citada senhorinha me fez ver. E gostei!

Sejamos então, a linda e charmosa senhora, que, invés de roubar sonhos, planta novos sonhos, nos corações das pessoas. Que saibamos nos respeitar!

Nesse dia tão lindo, tão cor de rosa, tão cheio de flores, desejo a todas as leitoras, que sejam flores nos corações das pessoas. E a todos os leitores, que tenham flores, pra alegrar seus corações! Até o próximo post!

segunda-feira, 5 de março de 2012

.:: DESAFIOS E MUDANÇAS ::.

"De todas as lutas e mágoas que enfrentamos na vida, sempre nos será mais fácil falar das que já vencemos de há muito, cujas lições já aprendemos e nos reconhecemos melhorados, do que relatar fatos recentes, quando as emoções ainda permanecem a descompassar nossos corações carentes de aprendizagem e de mais equilíbrio" (Lucius, 27 de outubro de 1983, S.P).


Bom dia, nobres amigos! Céu claro, sem nuvens, e um calor de “fritar o cérebro”! Estou perto de algumas árvores, em busca de um lugar mais fresco.

Na nossa vida, sempre buscamos estar confortáveis, não é mesmo?! O desafio é alcançar a serenidade, mesmo diante dos “tsunamis”.

Não sei se é fase, mas algumas amigas estão enfrentando situações similares às minhas. Nessa hora, nos perguntamos: “Por que comigo?”

Penso que a pergunta mais sensata seria: “Por que não comigo?”

Afinal, estamos no planeta terra, vivendo! Estamos sujeitos às boas surpresas, às decepções, amores e desafetos, à alegres caminhadas e, principalmente à quedas. Aliás, só tem como cair quem está de pé.

Ainda tem gente que vira pra mim e pergunta: “[...] você está sorrindo mesmo com tudo isso?”. Sem contar aqueles que sempre nos julgam, afirmando que “tem algo estranho”, por ser feliz face aos problemas.

Amigos, se eu fosse deixar de comemorar a vida a cada instante, porque existe algum problema, viveria abatida.

Falta de dinheiro é uma realidade enfrentada pela maioria da população, assim como a fome e a miséria, pessoas estão se divorciando, noivados sendo rompidos, namoros destruídos, pessoas adoecem, outras tantas morrem, pais de filhos brigam para pagar o mínimo de pensão, ou até mesmo não pagar, e não sou exceção nas tristezas da vida.

Mas trabalhos surgem, as pessoas progridem, pessoas se apaixonam, se casam, ficam curadas, e existem bons pais na terra. Tantos são os belos acontecimentos vivenciados na terra, que enumerá-los aqui não daria.

Prefiro olhar para o que me dá esperança, do que dar atenção ao que tira minhas forças. Minha busca é por soluções, não por mais problemas.

Hoje meu post é um grito de fé, carinho, esperança, a todos os meus queridos que estão enfrentando alguma provação, e dizer que, por mais difícil que seja a caminhada, estar de bem com a vida é a única forma de tomar decisões plausíveis para sanar os óbices. Se não estiver bem, o coração angustiado, não é a hora de tomar nenhuma decisão.

E estamos todos juntos nessa: “uma mão lava a outra, e as duas batem palma nas vitórias, e se consolam, nas derrotas”.

A PAZ!

domingo, 4 de março de 2012

.:: θεóς ::.

Bom dia, amados leitores. Hoje quero dedicar todo o post ao meu sol, meu THEO.

Quando escolhi o nome do meu filho, já estava, na verdade, decidido numa linda promessa que fizemos um ao outro, que logo contarei.Seu nome tem um grande significado e uma razão. Além, obviamente, de tratar-se do prefixo grego para tudo aquilo que remete ao Criador, é curto, simples e carinhoso.

Descobri também que o nome escolhido, por iniciar com a letra T, correspondente ao TAU, a última letra do alfabeto hebraico e a décima nona letra do alfabeto grego, símbolo escolhido por São Francisco de Assis para representar sua ordem e com o qual selava tudo o que escrevia, para significar a densidade do Amor de Deus, concretizado na Cruz de Cristo.

Mas a principal razão de minha escolha é que, como nome próprio, THEO siginifica PRESENTE DE DEUS. Seu nome traduz com perfeição meu maior presente, minha maior dádiva!

Eu estou empenhada em sua criação, para que ele saiba voar, ter o controle de sua vida em suas mãos. Alçar voo. A beleza da vida está em não permitir que os outros ditem a nossa vida.
A vida foi presente de Deus ao homem - o livre arbitrio. E Ele, que nos ama no amor perfeito, em sua sabedoria, assim nos presenteou.
E eu que o amo no amor maternal, na construção do seu caráter, tenho a missão de apenas ensiná-lo a descobrir que ele pode sim, andar com os próprios pés, vitorioso, já ao ser presenteado pela mágica da vida!
E eu me encanto na magia do viver, de vê-lo aprender e crescer.
No dia 13 de junho de 2011, fiz um poema pra ele. Na época, ele tinha cabelos enroladinhos. Estou postando hoje, um pouco do meu singelo sentimento por meu filho:

Na Estrada do Théo

Ao te ver tão perto, terno infante
Cheio de graça, entre artes graciosas
No agitar encantador dos seus cabelos rebeldes
Me perco e me encontro na benevolência do seu aprender
No fascínio que habita em sua infância

Em apenas um instante, viajo nas memórias
Ao sentir real o que sonho foi outrora
Sonho de amor, concreto está
O Verbo, contigo, me presentear
No momento que você veio se abrigar em meu ventre.

Visualizo seus cachos castanhos um tanto dourados
Capazes de iluminar seus olhos com muito mais vida
E reporto-me ao esplêndido dia que descobri
Meu amor, em meu corpo te gerar
Na mais terna eloqüência do milagre divinal

Brinca, criança, com seus brinquedos!
Que entre bola, carrinhos e avião
Meu materno coração se arrebata
No apaixonado passatempo
De visualizar o seu jeito virar canção!

E essa paixão imensa me faz lembrar
Que eu te esperei todos os dias
Todas as horas, contando os segundos... cada segundo!
Para então poder te ver assim a iluminar
Colorir minha biografia com seus lápis de cor!

Enquanto você desenha concentrado
O mundo que pertence somente a você
Suas primeiras escolhas, primas formas
Acompanho inspirada, cada risco virar traço
No suave contentamento do aprender a crescer

Uma fase, outra etapa, uma lição
Meu leite, leite em pó, comidinha de macarrão
Embalar, engatinhar, andar sem coordenação
Me sustento no instinto ímpar dos seres
No amável cuidado da sua criação.

Meu formoso pequenino, me dê um abraço!
Envolva sua mãezinha em seus braços
Receba meu beijo repleto de saudade
Nas despedidas, nos reencontros... qualquer hora
Capaz de acalentar nossa vida corrida.

Nasce um dia, mais um mês, um outro ano
Mais um dia, outro mês, tens dois anos!
Vivendo a doce rotina de não ter rotina
Porquanto renasço, reaprendo, reinvento
Ressurjo até no falar.

Ainda é escuro, mas o dia se inicia
Desejo mais dez minutos contigo em meus braços
Antes do trabalho, da escola, da vida a correr
Preciso eternizar esse singelo momento
Repousa sua energia até o despertador tocar

Bom dia! Te amo! Sentirei tanto sua falta!
Outro dia com a alma saudosa até anoitecer
Em preces por minha criança que está na escolinha
Meu coração somente encontra o sossego em seus afagos
E da sua voz finalmente me dizendo: “Achou o Théo?!”

E quando enfim em casa chegarmos, que festa haverá!
Dançaremos, pularemos, brincaremos exaustivamente
Em meio aos brinquedos espalhados em todo lugar.
E por fim, pijamas, um beijinho, uma oração
Um laço de braços, de ternura, de realização.
.
Posso não saber amar no amor perfeito, mas eu o amo, na perfeição que habita em mim por ele!

Um beijo enorme a todos os que amam incondicionalmente!