Follow by Email

domingo, 4 de março de 2012

.:: θεóς ::.

Bom dia, amados leitores. Hoje quero dedicar todo o post ao meu sol, meu THEO.

Quando escolhi o nome do meu filho, já estava, na verdade, decidido numa linda promessa que fizemos um ao outro, que logo contarei.Seu nome tem um grande significado e uma razão. Além, obviamente, de tratar-se do prefixo grego para tudo aquilo que remete ao Criador, é curto, simples e carinhoso.

Descobri também que o nome escolhido, por iniciar com a letra T, correspondente ao TAU, a última letra do alfabeto hebraico e a décima nona letra do alfabeto grego, símbolo escolhido por São Francisco de Assis para representar sua ordem e com o qual selava tudo o que escrevia, para significar a densidade do Amor de Deus, concretizado na Cruz de Cristo.

Mas a principal razão de minha escolha é que, como nome próprio, THEO siginifica PRESENTE DE DEUS. Seu nome traduz com perfeição meu maior presente, minha maior dádiva!

Eu estou empenhada em sua criação, para que ele saiba voar, ter o controle de sua vida em suas mãos. Alçar voo. A beleza da vida está em não permitir que os outros ditem a nossa vida.
A vida foi presente de Deus ao homem - o livre arbitrio. E Ele, que nos ama no amor perfeito, em sua sabedoria, assim nos presenteou.
E eu que o amo no amor maternal, na construção do seu caráter, tenho a missão de apenas ensiná-lo a descobrir que ele pode sim, andar com os próprios pés, vitorioso, já ao ser presenteado pela mágica da vida!
E eu me encanto na magia do viver, de vê-lo aprender e crescer.
No dia 13 de junho de 2011, fiz um poema pra ele. Na época, ele tinha cabelos enroladinhos. Estou postando hoje, um pouco do meu singelo sentimento por meu filho:

Na Estrada do Théo

Ao te ver tão perto, terno infante
Cheio de graça, entre artes graciosas
No agitar encantador dos seus cabelos rebeldes
Me perco e me encontro na benevolência do seu aprender
No fascínio que habita em sua infância

Em apenas um instante, viajo nas memórias
Ao sentir real o que sonho foi outrora
Sonho de amor, concreto está
O Verbo, contigo, me presentear
No momento que você veio se abrigar em meu ventre.

Visualizo seus cachos castanhos um tanto dourados
Capazes de iluminar seus olhos com muito mais vida
E reporto-me ao esplêndido dia que descobri
Meu amor, em meu corpo te gerar
Na mais terna eloqüência do milagre divinal

Brinca, criança, com seus brinquedos!
Que entre bola, carrinhos e avião
Meu materno coração se arrebata
No apaixonado passatempo
De visualizar o seu jeito virar canção!

E essa paixão imensa me faz lembrar
Que eu te esperei todos os dias
Todas as horas, contando os segundos... cada segundo!
Para então poder te ver assim a iluminar
Colorir minha biografia com seus lápis de cor!

Enquanto você desenha concentrado
O mundo que pertence somente a você
Suas primeiras escolhas, primas formas
Acompanho inspirada, cada risco virar traço
No suave contentamento do aprender a crescer

Uma fase, outra etapa, uma lição
Meu leite, leite em pó, comidinha de macarrão
Embalar, engatinhar, andar sem coordenação
Me sustento no instinto ímpar dos seres
No amável cuidado da sua criação.

Meu formoso pequenino, me dê um abraço!
Envolva sua mãezinha em seus braços
Receba meu beijo repleto de saudade
Nas despedidas, nos reencontros... qualquer hora
Capaz de acalentar nossa vida corrida.

Nasce um dia, mais um mês, um outro ano
Mais um dia, outro mês, tens dois anos!
Vivendo a doce rotina de não ter rotina
Porquanto renasço, reaprendo, reinvento
Ressurjo até no falar.

Ainda é escuro, mas o dia se inicia
Desejo mais dez minutos contigo em meus braços
Antes do trabalho, da escola, da vida a correr
Preciso eternizar esse singelo momento
Repousa sua energia até o despertador tocar

Bom dia! Te amo! Sentirei tanto sua falta!
Outro dia com a alma saudosa até anoitecer
Em preces por minha criança que está na escolinha
Meu coração somente encontra o sossego em seus afagos
E da sua voz finalmente me dizendo: “Achou o Théo?!”

E quando enfim em casa chegarmos, que festa haverá!
Dançaremos, pularemos, brincaremos exaustivamente
Em meio aos brinquedos espalhados em todo lugar.
E por fim, pijamas, um beijinho, uma oração
Um laço de braços, de ternura, de realização.
.
Posso não saber amar no amor perfeito, mas eu o amo, na perfeição que habita em mim por ele!

Um beijo enorme a todos os que amam incondicionalmente!

Um comentário:

  1. Prima, linda poesia! Descreve muito bem o que sentimos, o quanto amamos esses seres tão pequenininhos (e tão gigantes em nossas vidas)!
    Muita saúde e muita energia para o Theo. Muita saúde e muita energia pra você poder acompanhá-lo sempre, ajudando-o a descobrir o quão maravilhosa a vida pode ser. beijooo

    ResponderExcluir